Opinião

Artigos de opinião sobre temáticas relevantes para o Desenvolvimento Local nos territórios rurais, publicados no Jornal Pessoas e Lugares.

DUECEIRA: Um retrato de uma Associação de Desenvolvimento Local

Por Ana Souto de Matos

Com 30 anos de compromisso com o seu território e comunidades

Tendo na sua génese, Jovens Agentes de Desenvolvimento, fruto de uma dinâmica de formação e especialização implementada pelo IDARC - Instituto para o Desenvolvimento Agrário da Região Centro em parceria com a CCRC - Comissão da Coordenação da Região Centro e o IEFP - Instituto de Emprego e Formação Profissional, a DUECEIRA e outras congéneres, são criadas na década de 90 do século XX, com o propósito de construírem respostas específicas para os territórios rurais, utilizando para tal ferramentas metodológicas e financeiras disponibilizadas pela União Europeia. 

Interpelação cívica para um compromisso com as pessoas e os territórios para o desenvolvimento local

Por Miguel Torres

Um acto eleitoral é uma oportunidade particular para discutir, ou colocar em discussão, as políticas públicas. É uma das enormes vantagens do processo democrático, todos somos chamados a escolher entre as múltiplas propostas que nos são apresentadas. Os Grupos de Acção Local representados pela Federação Minha Terra, aproveitando a ocasião, produziram um documento “Desenvolvimento Local, Compromisso com pessoas e territórios – Conjunto de recomendações dos Grupos de Acção Local aos poderes políticos para as políticas públicas na próxima legislatura” que foi entregue a todos os partidos políticos com assento parlamentar, que concorrem às eleições de 10 de Março e que foi, regra geral, muito bem acolhido.

“Cávado… com sabor”, uma estratégia de alimentação sustentável

Por Paulo Pereira

A ATAHCA - Associação de Desenvolvimento das Terras Altas do Homem, Cávado e Ave, actua num território marcadamente rural, que se estrutura essencialmente ao longo da bacia hidrográfica do rio Cávado desde Terras de Bouro, em pleno Parque Nacional Peneda Gerês, até Esposende. O programa LEADER, tem sido, desde 1991, um instrumento de intervenção privilegiado que tem permitido respostas em diferentes áreas, às necessidades identificadas no território, onde a ATAHCA assume o papel de Grupo de Ação Local (GAL).

Grupos de Acção Local: 30 anos a envolver as comunidades nas políticas públicas

Por Miguel Torres

Os GAL cumprem uma função de mediação entre actores públicos e privados que nenhuma outra estrutura cumpre a nível local, sendo este o principal factor de diferenciação.

Não existe nenhuma outra política pública em que a comunidade seja tão envolvida no seu desenho, implementação e avaliação, como o instrumento Desenvolvimento Local de Base Comunitário.

Artigo originalmente publicado no Jornal Público no dia 12 de Novembro de 2023

Considerações sobre a Avaliação no programa LEADER no contexto de uma política de coesão

A avaliação enquanto prática ou rotina de gestão é quase um dilema existencial da nossa sociedade. Refletir sobre os aspetos críticos do desempenho é algo embaraçador porque expõe as fragilidades e receios e aumenta a desigualdade politicamente incorreta. Não se deseja avaliar porque o receio da má figura é superior ao mérito advindo de um eventual bom desempenho. Trata-se de uma exposição que, quando não rejeitada, será preferencialmente evitada. Avalia-se o menos possível e de preferência, os aspetos mais simples, facilmente quantificáveis e politicamente corretos.

“A Paisagem é Tudo”, entrevista a Gonçalo Ribeiro Telles

A paisagem é tudo. É um diagnóstico de uma organização humana do território. A paisagem não é natural. É construída com elementos naturais. É do Homem, como uma casa. O Homem faz a paisagem com materiais vivos e com solo duro. É uma construção artificial, baseada nas leis da Natureza. Os seus elementos estão sujeitos à Lei da Vida. Portanto, há uma dinâmica e lógica da paisagem, da parte essencial da paisagem. Não podemos separar a paisagem e tratá-la como uma “coisa” para o turismo ou como um valor apenas de cenário.

Publicada no Jornal Pessoas e Lugares II Série | Nº 16 | Janeiro/Fevereiro 2004

“A atual florestação é errada e compromete os territórios”, entrevista a Gonçalo Ribeiro Telles

Toda a florestação que se faz hoje é errada. É monoespecífica, é com base no eucalipto, com foco no lucro imediato. Estão-se borrifando totalmente para a instalação de população, para o povoamento. É o contrário do que fez a primeira dinastia. É a chamada da população para as áreas metropolitanas, para os círculos à volta das áreas metropolitanas, que depois só têm uma resposta para essa população que chega: a horticultura urbana. Mas isso não chega como organização do território do país.

Publicada no Jornal Pessoas e Lugares III Série | N.º 10 | Março 2013

Desenvolvimento, Território e Política agrícola – Portugal 2015

por Francisco Cordovil

Devido à localização, posição geográfica e relevo de Portugal continental, as caraterísticas biofísicas das suas zonas rurais são variadas, propiciando uma grande diversidade de sistemas agroflorestais, que se vai recriando em função de mudanças socioeconómicas e políticas.

Artigo de opinião publicado em Julho de 2015, no Jornal Pessoas e Lugares Nº 18.

Cooperação local na organização dos produtores rurais

por José Francisco Ferragolo da Veiga

As comunidades e os pequenos produtores rurais sempre foram conseguindo encontrar as práticas de cooperação e ajuda mútua e as formas de organização que melhor se ajustam ao seu funcionamento e às suas dinâmicas sociais e económicas.

Artigo de opinião publicado em Outubro de 2014, no Jornal Pessoas e Lugares Nº 17.

 

Território – lugar possível de articulação de políticas públicas

por A. Oliveira das Neves

Uma breve retrospetiva das tendências recentes e das necessidades de intervenção dos territórios rurais evidencia o carácter limitativo das abordagens da política de desenvolvimento rural, sob enquadramento da Política Agrícola Comum, para promover o desenvolvimento destes territórios [...].

Artigo de opinião publicado em Julho de 2014, no Jornal Pessoas e Lugares Nº 16.

O que nos ensinam as organizações rurais inovadoras? Inovar é aprender e interagir

por Lívia Madureira

A inovação é por vezes definida como um processo de aprendizagem interactiva. A observação de organizações inovadoras sedeadas em meio rural, e dos respectivos processos de inovação, confirma a definição.

Artigo de opinião publicado em Julho de 2014, no Jornal Pessoas e Lugares Nº 15.

Qualificação e comercialização de produtos tradicionais

por Ana Soeiro

Os produtos tradicionais portugueses são, pela sua qualidade diferenciada e origem geográfica conhecida, instrumentos importantes para a valorização dos territórios de origem, dos quais muitas vezes captaram o próprio nome.

Artigo de opinião publicado em Abril de 2014, no Jornal Pessoas e Lugares Nº 14.

Articulação da política de desenvolvimento rural com outras políticas do território

por Arlindo Cunha

Estamos na fase final de preparação dos novos programas e medidas que hão de dar corpo à aplicação em Portugal de um novo ciclo de políticas comuns da União Europeia.

Artigo de opinião publicado em Fevereiro de 2014, no Jornal Pessoas e Lugares Nº 13.

O desenvolvimento em áreas rurais - Na encruzilhada de diferentes políticas públicas

por João Ferrão

Qualquer debate sobre desenvolvimento rural confronta-se com duas questões de fundo, uma relacionada com o próprio conceito de ‘rural’ e outra com a natureza das políticas ditas de desenvolvimento rural.

Artigo de opinião publicado em Fevereiro de 2014, no Jornal Pessoas e Lugares Nº 13.

Para a perspetiva territorial do desenvolvimento rural - A necessária mudança de paradigma

Por Teresa Pinto Correia

São três os grandes objetivos identificados para a Política Agrícola Comum (PAC) para os próximos seis anos: a) garantir uma produção alimentar viável, b) a gestão sustentável dos recursos naturais tendo em conta as alterações climáticas; c) o desenvolvimento territorial equilibrado.

Artigo de opinião publicado em Maio de 2013, no Jornal Pessoas e Lugares Nº 11.

Entre a sustentabilidade e a fome

por Viriato Soromenho-Marques

A fonteira da pobreza tem avançado para Norte. Mesmo nos países desenvolvidos, aumenta em flecha o número de agregados familiares que depende de ajuda pública de emergência.

Artigo de opinião publicado em Março de 2013, no Jornal Pessoas e Lugares Nº 10.

Do desígnio da Igualdade de Oportunidades à construção de Oportunidades de Igualdade

Por Rogério Cação

O discurso da igualdade de oportunidades tornou-se hoje quase recorrente. De facto, torna-se cada vez mais difícil pensar uma sociedade moderna cujos alicerces não estejam claramente referenciados a dimensões que colocam todos os cidadãos em condições de igualdade perante as leis.

Artigo de opinião publicado em Dezembro de 2012, no Jornal Pessoas e Lugares Nº 9.

Educação, formação e desenvolvimento local

por Luís Alcoforado

A ideia de modernidade foi sendo construída sobre a convicção generalizada da necessidade de garantir políticas públicas de educação e formação que possibilitassem a todas as pessoas a aquisição de saberes para o desempenho dos mais diversos papéis sociais.

Artigo de opinião publicado em Março de 2012, no Jornal Pessoas e Lugares Nº 5.

 

Reflexões sobre o futuro da PAC pós-2013

por Alfredo Cunhal Sendim

Qualquer agricultor, ao produzir alimentos ou outras matérias-primas a partir da natureza, impacta num vasto conjunto de realidades de carácter económico, social, ambiental, ecológico, energético e cultural; com repercussões, por exemplo, no emprego, biodiversidade, solo, água, emissão de gases com efeito de estufa, fixação de carbono, clima, eficiência energética, tipo de energia, fogos, paisagem, tradição...

Artigo de opinião publicado em Janeiro de 2012, no Jornal Pessoas e Lugares Nº 4.

Há rural depois da agricultura?

por Elisabete Figueiredo

Como referiu Fernando Oliveira Baptista num trabalho de 2006, o mundo rural em Portugal já não é predominantemente agrícola e, se ainda o é, é cada vez menos rural.

Artigo de opinião publicado em Janeiro de 2012, no Jornal Pessoas e Lugares Nº 4.


Terra Viva 2019


I14-TERRAXVIVA.JPG

A 3.ª edição do programa Terra Viva da Antena da TSF deu voz e ouvidos a 54 promotores e promotoras de projetos, beneficiários da Medida LEADER do PDR2020 através dos Grupos de Ação Local do Continente, entre os dias 3 de junho e 9 de julho de 2019.

ELARD

 

I19-BOTXXOXFMTXPRESIDENCIA.JPG

 

A ELARD, constituída por redes nacionais de desenvolvimento rural, congrega Grupos de Ação Local gestores do LEADER/DLBC de 26 países europeus. A MINHA TERRA foi presidente da ELARD no biénio 2018-2019.

54 Projetos LEADER 2014-2020

 
I2-54XPROJETOS.JPG

Repertório de projetos relevantes e replicáveis apoiados no âmbito da Medida 10 LEADER do Programa de Desenvolvimento Rural 2020 elaborado pela Federação Minha Terra.

Cooperação LEADER


Edição da Direção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural e Federação Minha Terra, publicada no âmbito do projeto “Territórios em Rede II”, com o apoio do Programa para a Rede Rural Nacional.






Receitas e Sabores dos Territórios Rurais

 

 I15-LIVROX7MG.JPG 

O livro “Receitas e Sabores dos Territórios Rurais”, editado pela Federação Minha Terra, compila e ilustra 245 receitas da gastronomia local de 40 territórios rurais, do Entre Douro e Minho ao Algarve.





[ETAPA RACIONAL ER4WST V:MINHATERRA.PT.5]